segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Coleção Basic Holiday Kipling!


No meu tempo de colégio, quem tinha um estojo ou mochila da Kipling era cool. O macaquinho fofíssimo que todo mundo conhece era praticamente o mascote da galera mais estilosa. Eu passei muito tempo querendo e desejando uma bolsinha pequena que fosse, até que um dia ganhei uma mochila. Linda. Vermelha. Grande. Com o Walter pendurado. Um macaquinho para chamar de meu, enfim.
Uso até hoje a peça desejo da minha adolescência. Porque mochila não tem época, nunca sai de moda e é cheia de personalidade. E, pela qualidade da marca, ela ainda parece nova, fresca, coisa de gente jovem e cheia de vida. Acho que é justamente isso que caracteriza a Kipling, né? Os macacos fofos, as cores lindas, os modelos apaixonantes... Tudo dá uma vontade imensa de levar para casa, combinar com uma roupa legal e sair por aí sendo feliz.


E agora a Kipling lançou a Coleção Basic Holiday, que traz ainda mais dessa essência de vida e felicidade, como se estivéssemos morando em uma nuvem colorida. Não é à toa que as cores da coleção estão ainda mais encantadoras do que o costume, com a cara das estações mais alegres do ano e com aquele jeitinho que diz: "me use, seu dia ficará muito melhor e mais bonito". Tudo super moderno, com tons de suspirar e querer usar tudo ao mesmo tempo. Além da praticidade que as peças têm, a autenticidade no look é certa!


As cinco novas cores da Kipling, na coleção Holiday, são de enlouquecer: Pink Orchid, Salmon Pink, Cactus Green, Glacier Blue, Brilliant Purple. Olhem só:


Além disso, tem vários modelos para todos os tipos de gostos de necessidades. A mochila grande (como a minha), que é uma mão na roda para muita coisa (não só para estudantes, não), os estojos, o new storer, que é um fichário com alça e espaço interno para muita coisa, e por aí vai! Não sei vocês, mas eu vejo e fico desejando um modelo de cada e, de preferência, um de cada cor (haha). Especialmente nesse tom mint L-I-N-D-O e o salmão que é sempre elegante!




Desejo do dia, da semana, do mês... Pode ser um de cada?
Muito amor! Sem contar a vontade de ter uma coleção de macaquinhos, né gente?
Bises, bises!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Linda de sexta!

A linda de hoje foi mais uma das pessoas que eu conheci durante uma das edições do Paraná Business Collection. Ela também é blogueira, super estilosa e cheia de atitude, tanto é que algumas de suas roupas são criações próprias que ela manda fazer. Na penúltima edição do evento fomos até à festa de encerramento juntas e foi muito divertido. E como o que eu mais adoro é mostrar aqui gente que, além de linda, também é cheia de estilo, o post de hoje é prato cheio!
Com 23 anos, formada em Design de Moda e pós graduanda em Marketing e Comunicação, ela atualmente faz freelance de produções e dá dicas para empresas, além do trabalho oficial de Social Media em uma loja de departamento de luxo. Pedi a ela que contasse para a gente um pouquinho sobre sua vida e olhem só o que ela falou: "Sou sagitariana impulsiva, tímida por incrível que pareça e altamente sensitiva para certas coisas. Apaixonada por música e criação. Tenho como “marca” favorita e intocável BALMAIN, e como inspiração a cantora Britney Spears da qual sou fã desde os 10 anos. Gosto de desenhar quando estou estressada, ouvir música e conhecer novas bandas na internet. Sonho em ter minha própria marca e trabalhar de forma definitiva com moda".

Nome: Cynthia Noemi
Lá de: Foz do Iguaçu











Super estilosa e cheia de atitude, concordam?
Muito legal ter você aqui no blog, Cynthia!
Bises, bises!

Receita da semana: Cheesecake salgado!


Hoje tem uma receitinha super simples, mas que ficou uma delícia! Juro, gente, quando você dá uma olhada e vê como é simples, pensa que não vai dar em nada, mas ficou tão gostoso que acabou em um piscar de olhos.
Eu queria fazer algo gostosinho pra receber umas amigas, então encontrei essa ideia do Edu Guedes de cheesecake salgado e dei uma adaptada. Ele fica com uma textura super leve e bem saboroso. O Edu decorou com tomates cortados bem fininhos, mas como eu ando com aversão a tomates depois de ter passado muito mal por causa de um estragado, preferi deixar sem nada e só fazer uma brincadeirinha no centro da torta mesmo. Mas penso que uma misturinha com tomate seco seria ideal pra combinar com o gostinho do cheesecake.
Mudei um pouco os queijos utilizados pra ficar um pouco mais barato e acrescentei milho, que acho que fica ótimo em receitas na qual a base é queijo.
Os ingredientes são:

1 pacote de bolacha de água e sal
3 colheres (sopa) de manteiga 
1 colher de azeite de oliva
4 ovos
1 caixinha de creme de leite
1 colher (sopa) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de cream cheese
1 xícara (chá) de queijo minas
1 xícara (chá) de ricota
1 xícara (chá) de queijo mussarela
Meia lata de milho
Orégano e sal a gosto

Tá, é o seguinte: a forma tem que ser de aro removível, tá? No meu caso não grudou nadinha, mas se você quiser pode usar papel manteiga ou untar a forma.
Se tiver processador em casa fica muito mais fácil. Como eu não tenho, fiz a massa no liquidificador mesmo. Coloque no processador/liquidificador o pacote inteiro de bolachas (usei aquela Tostines, mas você pode usar qualquer uma que quiser, até mesmo integral), a manteiga e o azeite de oliva e bata até virar uma farofa. Ela será aquela base que todo cheesecake tem. Com essa farofinha, então, você forra a forma, apertando bem com a colher até ficar bem uniforme e prensadinho, assim:


A primeira parte está pronta. Agora, em um recipiente, bata os ovos (com garfo, colher ou espátula mesmo, tanto faz, não tem segredo), junte o creme de leite, a farinha de trigo (sim, é só uma colher mesmo, gente, um nada), os queijos (ralados, tá?), o cream cheese, o milho, o orégano e o sal (usei uma colher de chá só). Eu aproveitei um restinho de queijo gruyère que tinha em casa também, você pode acrescentar o que quiser. Aliás, já estou pensando em várias outras opções para adicionar a esse creme na próxima vez. Uma opção com atum, outra com tomate seco e por aí vai...
Enfim, misture todos esses ingredientes e derrame com cuidado em cima da base de biscoito. Leve para assar por cerca de 45 minutos ou até dourar, depende muito do forno. Depois desenforme e faça a cobertura como preferir ou sirva assim mesmo, na minha opinião não precisa de mais nada. O ideal é servir quentinho, por causa dos queijos.



Acreditem, fica uma delícia! E o melhor é que dá para usar bastante a criatividade, acrescentando o que você quiser ao cheesecake. Super legal de servir à tarde para uma visita, por exemplo ou quando você quer algo mais descontraído, não uma janta super formal!
Espero que gostem e, se fizerem, me contem!
Bises, bises!

Emmy Awards 2013!

Todo mundo já falou sobre o Emmy essa semana, mas eu estava cheia de provas na faculdade e não poderia deixar de fazer meus comentários! Começo esse post simplesmente dizendo que o Emmy desse ano - considerado o Oscar da TV americana - foi apresentado por ninguém menos que o boy magia Neil Patrick Harris, o Barney de "How I met your mother". Só por isso já valia a pena assistir! Fora esse detalhe, juro que gosto mais do Emmy do que do próprio Oscar, já que acho uma delícia ver meus atores e atrizes preferidos das dezenas de séries que assisto vestidos para arrasar (ou nem tanto) no tapete vermelho. Os aficionados por séries como eu devem sentir que a gente cria essa empatia pelos atores e é super legal vê-los fora de seus personagens em um determinado momento.

Teve muita gente de pretinho básico - ou nem tão básico assim -, provando que aquela história de que "preto não tem erro" não é bem assim!

Amanda Peet foi de Erdem todo trabalhado no velório de cinema americano, sabem?


Enquanto isso, Aubrey Plaza mostrou a maneira correta de usar essa mistura, em um nude/preto sequinho se mangas longas Marios Schwab.


Lena Headey usando Alessandra Rich. Sou só eu ou essa moda de transparência só com as hot pants em destaque já cansou?


Jessica Lange é diva - talvez porque eu a ache uma excelente atriz - e pronto, não importa o que ela use. Dessa vez a atriz de American Horror Story escolheu um Escada bordado no busto!


Vera Farmiga foi de vestido volumoso Theyskens' Theory, enquanto Robin Wright foi de Ralph Lauren sequinho e discreto e Shaun Robinson escolheu um Nicole Miller justinho com formato sereia.




Katrina Bowden apostou no detalhe bordado nas costas e, para valorizar o Badgley Mischka, caprichou no coque lá no alto.


Jane Lynch também escolheu um Badgley Mischka para a noite, mas, bem diferente de Katrina, foi de conjuntinho. Discreta e elegante, de acordo com seu perfil.


Do outro lado estavam as clarinhas, usando branco ou tons de nude. Olhem só:

Visto de frente o Romona Keveza de Carrie Preston não tinha graça nenhuma, mas juro que morri de amores por esse detalhe de botões pretos em todo o comprimento das costas e cauda. Achei uma graça e o caimento do vestido é lindo!


Claire Danes, que ganhou o prêmio de melhor atriz em série dramática, estava de Armani Privé super decotado. O que era para ser o auge do vestido ficou mais parecendo um erro no tamanho das alças, deixando tudo lá para baixo.


Robin Scherbatsky Cobie Smulders estava belíssima em um J. Mendel simples, mas impecável. Mulherão!


Emilia Clarke, a eterna Khaleesi para os amantes de Game of Thrones, foi de Donna Karan, mas errou feio na make. Com um rosto tão lindo, bem melhor teria sido apostar em algo mais suave, não acham? E esse cabelinho?


O Givenchy de January Jones parece saído de um sonho de verão. Achei super delicado e muito bonito!


Julie Bowen deveria ter mandado apertar mais o vestido ou ter aproveitado para engordar uns quilinhos e, assim, não ficar dançando dentro do Zac Posen grande demais para ela.


Anna Gunn, da série Breaking Bad, foi a mais linda da noite. Acertou no vestido - Romona Keveza -, que ficou perfeito no corpo da atriz e tem esse jogo lindo de tecidos e tons opostos. Acertou no cabelo, na make... Impecável!




Também de preto e nude, mas em um modelo diferente estava Elisabeth Moss. O vestido é Andrew Gn.



Ireland Baldwin, a filha de Alec Baldwin, estava um muito bem nesse Amanda Wakeley. Ficaria duvidoso em muita gente, mas nela ficou ótimo (apesar de parecer que, na hora de costurar, faltou tecido para continuar a barra e a estilista falou: WHATEVER). O detalhe no busto é lindo!



Julia Louis-Dreyfus escolheu um modelo de tampinha de latinha de refrigerante da estilista Monique Lhuillier. No mínimo triste!



E Julianna Margulies enrolou uma toalha de praia bem grande e bordada em volta do corpo e achou que estava arrasando. Só que não, né?



O Marchesa de Kerry Washington é do tipo ame ou odeie, mas confesso que eu gostei sim, talvez por ser fã de aplicações e achar que minimalismo não é pra qualquer uma, tem que sustentar! Na dúvida, capricha no vestido diferente, que foi o que ela fez!


Kiernan Shipka estava uma graça nesse Delpozo nude com tons vibrantes! Super condizente com a idade da atriz, uma fofura!


Lily Rabe pegou um vestido de pirigueti e costurou um pouco mais de pano em uma das laterais. É Vionnet, mas poderia ter sido comprado ali na lojinha da esquina. A cara também poderia estar melhor, amiga, você não está em um episódio de American Horror Story nesse momento!


Malin Akerman foi de Marchesa em seu melhor estilo, vestido de princesinha. Não tem muito o que discutir, eu gosto desse padrão de modelagem!


Padma Lakshmi, rasgaram seu Kaufman Franco, corre pro banheiro costurar, pede ajuda pra uma amiga, sei lá!


Simples, porém bonita, Taylor Schilling nesse Thakoon com fenda. Caiu bem nela e isso é essencial!


E por último, mas não menos importante - pelo contrário, algumas estavam belíssimas - as garotas de colorido. Foi uma festa de cores esse Emmy, desde os tons mais vibrantes até os tons pastel! É claro que Kiernan, com seu vestido coloridinho, também poderia estar nessa categoria, mas acho que o nude predomina no caso dela!

Do tom de rosa mais clarinho ao vermelho mais intenso, começamos com Rose Byrne em um Calvin Klein de corte reto e modelo cropped que, pra uma pessoa magérrima como ela, ficou lindo e chique! Eu digo que tem que sustentar o minimalismo, viu só?


Logo em seguida vem Laura Dern com um Naeem Khan todo trabalhado nas aplicações, bordados e transparências. O modelo é bonito, mas acho que a cor não casou bem!


Um pouco mais "mamãe, estou aqui no Emmy" é o vestido Lorena Sarbu de Ariel Winter, quase neon e que lembra aqueles vestidos de antigamente, quando todo mundo ia igual às festas por não haver opções diferentes no mercado! Será que ela deixou pra escolher na última hora e foi o que sobrou?


Sarah Paulson estava elegante, fina e minimalista com muita dignidade nesse Carolina Herrera que em mim ficaria péssimo, mas nela ficou ótimo! Adorei!


Partindo para o vermelho, Sofia Vergara delineou suas curvas, como sempre, em um Vera Wang sereia bem decotado e com muita renda. Nenhuma novidade, mas um luxo de mulher como sempre. Sem contar que o corte de Vera Wang é impecável. A combinação com joias esmeraldas também super funcionou!


Morena Baccarin mostrou como ser linda com um barrigão de quase nove meses nesse McQueen vermelho e ainda mostrou também que tem bom humor, dizendo que se entrasse em trabalho de parto durante o evento tentaria segurar para assistir até o final. Enquanto isso, que me desculpem as pessoas que dizem que ela está ótima depois que emagreceu, mas achei o Jenny Packham de Kelly Osbourne simplesmente uó, não usaria nem se me pagassem! E pra encerrar os vermelhos intensos, Carla Gugino em um Georges Chakra que é só mais do mesmo.




Puxando mais para o bordô, Heidi Klum, que não tem medo do excesso de brilho, foi de Versace coberto de bordados dos pés ao pescoço, literalmente. Acho que super combina com ela e, como eu gosto muito de um brilho - perua feelings - gostei bastante.


Também de bordô, a diva da noite, junto com Anna Gunn: Kaley Cuoco só ARRASOU nesse Vera Wang. Maravilhosa, sinônimo de glamour. Me empresta depois, amiga?


Misturando bordô com laranja de um jeito super lindo, Michelle Dockery escolheu esse Prada bem diferente e que ficou lindo nela. A sandália delicada, a clutch laranja com pedrarias, a make suave e o cabelo de menina também ornaram bem demais. Estava uma boneca!


Também teve muita gente no time dos tons de azul até roxo, começando com Julianne Hough - o azul mais suave - que foi de Jenny Packham super bordado. Honestamente, além do que já falei sobre os vestidos com hot pants, achei que o modelo do busto não favoreceu nadinha!


As duas irmãs Deschanel, Emily e Zooey, também foram de azul bem suave. Emily, a eterna Bones, escolheu um Houghton de renda que teria tudo pra ficar lindo, não fosse o fato de parecer um pouco largo no quadril, o que acaba com o vestido, né? Mas em compensação, make e cabelo perfeitos, combinando com o rosto incrível e marcante que Emily Deschanel tem. Já Zooey optou por um J. Mendel super sério, mas que, no resultado final, ficou muito bonito nela. Aquela história, eu não usaria, mas gostei na atriz. O cabelo de Zooey estava impecável, um show à parte!





Giuliana Rancic, magérrima, foi de Mikael D sereia com bordados de padrão bem delicado e trabalhado. É clássico né gente.


Corte feio e com cara de mal acabado, não interessa se é Oscar de la Renta. Combinado com essas sandálias pretas pesadas, então, ficou terrível, Jessica Pare.


Tina Fey comprou seu vestido na 25 de março, só pode (hahaha). Mentira, é Narciso Rodriguez, mas né...


Rocsi Diaz de Michael Costello. Primeiro, que chama a filha de ROCSI? Segundo, essas pontas no decote estão, no mínimo, engraçadas demais. Terceiro, o modelo evidenciou demais o quadril largo ao invés do resto do corpão da moça. Mas confesso que gosto dessas barras cheias de ondulações.


Allison Williams estava linda nesse Ralph Lauren simples, mas de caimento perfeito. Aliás, ela É linda. Assim, com os cabelos soltos e só. Linda.


Como eu disse na fan page do blog, Maria Menounos nunca muda o estilo, mas deve ser porque ela sabe que fica linda no modelito sereia e que orna super bem com seu corpo. Dessa vez ela foi de Zac Posen e caprichou muito no cabelo, ótima inspiração pra quem quer um penteado diferente. Outra observação é que a combinação entre azul e verde quase sempre fica ótima, e o maxi colar esmeralda não foi exceção, ornou super bem com o vestido simples e sem detalhes.



De roxo, Melissa Rauch estava linda nesse Rubin Singer. Nada demais, mas combinou com ela e a cor destacou bastante a pele clarinha.


E Lily Aldrin Alyson Hannigan estava diva de Marchesa justo, mas com saia de princesa. O cabelo lateral ficou ótimo e ela estava muito linda. Ou é só porque eu adoro a Lily e o Marshall. Sei lá.


Carrie Underwood chegou de roxo e depois subiu ao palco de azul. O roxo, no qual ela parecia uma princesa, linda demais, é Romona Keveza. O azul é Randi Rahm Couture. Acho ela tão divina!




Linda Cardellini apostou nos babados em tecido mais estruturado, o que eu acho que super funciona quando a pessoa é magra assim. A cor desse Donna Karan também está linda!


Veludo verde com bordados dourados... Me julguem, mas eu usaria sim. Foi a escolha de Connie Britton, de Naeem Khan.


Sarag Hyland apostou no verde com sobreposição de renda preta, de Carolina Herrera. Não gostei. Só isso, não gostei.


Mayim Bialik estava muito graciosa nesse Oliver Tolentino. É tão estranho vê-la fora das roupas esquisitas da personagem Amy que chega a ser um choque. Super elegante!


E, por fim, as aberrações da noite: Lena Dunham em um Prada verde com flores laranjas que poderia esconder a galera inteira que estava presente no Emmy (ou será que ela queria furtar os prêmios e sair com eles embaixo da saia?) e Zosia Mamet em um Honor que, sério, prefiro nem comentar, porque se for comentar...



Agora, falando sério, alguém me explica qual é a dos cabelos lambidos? É muita gente usando uma coisa que é feia, gente. Sem mais, é feio. Tanta gente tentando dar um pouco de volume ao picumã e a galera vai lá e pede pra uma vaca lamber e pronto, está feito o penteado.
No geral achei "sooo last season", mais do mesmo, com algumas exceções belíssimas, concordam? 
Bises, bises!